Para Inês

Para Inês

 

Como é bom sorrir

Sorriso de uma criança

Nos faz sentir bem

Nos dá muita esperança

 

Sorria, sorria sempre

Mesmo estando triste

Porque o teu sorriso

O mal não resiste

 

Sorriso no olhar

Sorriso no pensar

Seja como for

Quem me dera ter

O sorriso dos sorrisos

Que é o dom do amor

Trovas VI

Trovas VI

 

Os grilos cantam

Os sapos coaxam

Numa música só

A coruja pia

E o gato mia

De fazer dó

……………………………………………….

sem criança

não haveria

nem esperança

nem poesia

……………………………………………….

Oito anos

Que simplicidade

Que flor perfeita

Que bela idade

……………………………………………….

Abelha de flor em flor

Formiga de galho em galho

Atentas, muito contentes

Realizam os seus trabalhos

……………………………………………….

Sonho puro

Suave doçura

Nuvens brancas

Lírio de candura

Eu quero…

Eu quero…

 

E… de repente

Vi entre as nuvens

Estrelas… estrelas…

Grandes, pequenas, coloridas

Todas tão belas!

 

Eu quero

Que cada estrela

Seja um anjo

– um anjinho –

Protegendo sempre

O seu o meu caminho

 

Eu quero

Que o seu e o meu coração

Sejam fartos e sinceros

Para alcançar

O que você  quer

O que eu quero

 

E, em particular espero

Muito em breve, conseguir

Que em todo mundo, as crianças

Vivam a sorrir

Realizando  suas esperanças

Sofrer à toa

Sofrer à toa

 

Passo a passo

Controlando o cansaço

Sinto-me enfraquecer

Mas ao meu redor

Nem tudo é dor

Quero viver

Controlando o passo

Sinto o mormaço

Torno a enfraquecer

Vem a lembrança

Traz a esperança

E o sobreviver

Passam os anos

Vem os desenganos

E me fazem sofrer

 

Mas se a vida é boa

O sofrer é  à toa

Pra quem sabe viver

Trovas IV

Trovas IV

 

Lá no alto

Vão as nuvens voando sem fim

Levam recadinhos,

Aos meus netinhos

– Não se esqueçam de mim

……………………………………………….

Veio a tempestade

Que medo! Preocupação…

Não foi nada. Apenas trovão!

Cheia de tristeza… esperança…

Vem a alegria… bonança

……………………………………………….

Meu coração sofre tanto

Vem enxugar meu pranto

Por que sofro assim?

Gostaria de ser uma pedra

Fincada na terra

No meio de um jardim

……………………………………………….