Alegre-tristonho

Alegre-tristonho

 

Quem sou

Adivinha

Vou dar uma pista

Nas coisas boas ou más

Estou na lista

 

Eu sou no amor

Uma ilusão

Que reanima

O doce coração

 

Nas coisas da vida

Às vezes sou bom

Em outros casos

Eu não sou não

 

Eu vou até as nuvens

Acaricio a lua a brilhar

Eu contos as estrelas

Danço no fundo do mar

 

Faço você alegre

– às vezes, tristonho –

Sabe quem sou?

Eu sou o sonho!

Anúncios

A saudades dói

A saudades dói

 

Noite serena

O belo luar

Ilumina o orvalho

Na folha a brilhar

 

Amanhece o dia

O pássaro a cantar

Melodia suave

Nos faz meditar

 

Na pessoa amada

Nas coisas belas

Nos dias felizes

Nas noites de estrelas

 

No amor, na vida

Numa grande amizade

De repente sem avisar

Chega doída a saudades

Meu amor

Meu amor

 

Sorrindo, cantando

A vida levando

E sempre lembrando

Que assim deve ser

Pois quem dá alegria

Espalha harmonia

E ensina a viver

 

Na noite tão bela

admirando a estrela

No céu a brilhar

Vejo o vaga-lume

Sentindo o perfume

Das flores ao luar

 

Quem dera agora

Ver sem demora

O meu amor

Daria:

A luz do vaga-lume

Da flor o perfume

Do sorriso o ardor.

Mãe

Mãe

 

Quem é que me ama

Sem nada querer?

– És tu,  mãezinha!

E sempre hás de ser

És para mim

A flor mais bela

A gota de orvalho

Que brilha ao luar

A voz singela

Que a todos ensina

A arte de amar

Nos teus braços

Me sinto menina

És a luz dos meus olhos

És do lar a rainha

És o raio de sol

Que aquece e ilumina

Um coração a pulsar

Um coração a pulsar

 

Fui ao céu

Às nuvens, à lua

Estrelas olhavam-se

Pareciam dizer o que sentiam…

São belas!

Senti amor

– mas não o meu amor –

Amor dos vales, das serras

Voltei à Terra

Avistei uma árvore

Em sua sombra

Descansavam três corações

Um pequenino

Outro tamanho normal

O terceiro já envelhecido

Todos de amor igual

Num coração a pulsar

 

Descansei…

 

Busquei amores

Fizemos um pacto

Um único coração,

Amores: quatro

– Amor da flores

– Amor da terra

– Amor do infinito

– Amor do mar

Então descobri

Que apesar de tudo que vi

Dos amores a  grandeza

Não se iguala à beleza

De um único coração a pulsar