Quem será?

Quem será?

 

Não sei se você me conhece

Sei que existo

Não tenho cor

Ninguém me vê

Sou como o vento

Não tenho tempo

Não envelheço

E sempre venço

Não tenho idade

Sou na saudade

Na alegria também

Na terra , no céu,

Sei lá…  no além

Só me abato

Onde há rancor

Sou feliz

Como abelha na flor

Sugando o mel

Com muito ardor

Me aninho

No grande,  no pequeno

No humilde, no nobre

Todos se animam

Quando me descobrem

Tudo gira em meu redor!

 

Sabe quem sou?

Sou um sentimento sublime

Que só o coração define

– Eu sou o amor!

Anúncios

Rosas

Rosas

 

A terra dá a vida à raiz

A raiz dá vida ao tronco

O tronco da vida aos galhos

Tudo chegando ao mesmo ponto

Nos galhos brotam as folhas

Em meio às lindas rosas

Brancas, amarelas, vermelhas

Qual será a mais dengosa?

 

Numa rosa pousa a abelha

Noutra a gentil borboleta

Sugam da rosa o mel

Desprezando a violeta

Obra prima de Deus

Obra prima de Deus

 

Estrelas piscando

Você me amando

Obra prima de Deus

 

Nuvens se escondendo

Onde, aparecendo?

No azul dos céus

 

É do anjo a veste

Que num mundo deste

Brinca de cordel

 

No campo o encanto

Você aparece

Debaixo de um véu

 

Não há desencanto

Do canto que canto

Pintado de mel

 

Por ter tudo e tanto

Sem dor e sem pranto

– seu amor é só meu

 

Estrela piscando…

Beija-flor

Beija-flor

 

Caminhando pela mata

Ouvindo da cascata

Ao longe, o borbulhar

As borboletas

Brancas e pretas

A esvoaçar

O passarinho

Alegre no ninho

Desfiava o seu cantar

Eis que de repente

Rapidamente

O beija-flor aparece

Altivo guerreiro

Arrebata ligeiro

O mel que o aquece.