Um paraíso

Um paraíso

 

Cristo nasceu

Para alegrar o mundo

Cooperemos com Ele

Dias, horas, segundos

Nos momentos tristes

E nos tristes também

Porque não existe

Vida sem dor

Seja hoje ou amanhã

Iremos para o além

Para encontrarmos

Jesus de Belém

Vivamos o presente

Alegres e contentes

Sempre com sorriso

Assim a Terra será

Um paraíso

Anúncios

Saudades e alegria

Saudades e alegria

 

Há que saudades dos tempos

Do passado, antigamente

Mas deixemos o que se foi

Precisamos viver o presente

 

Tudo passou, a ilusão se foi

O hoje está aqui e não mente

A tristeza vem a saudade dói

Se quem amamos está ausente

 

Esqueçamos. Mudemos o pensar

Remediado está. Foi sempre assim

Tentemos o sofrer amenizar

Apesar, de às vezes, da alegria ter fim

Festa caipira

Festa caipira

 

Quanta saudades

Dos tempos idos

Das festas caipiras

Vestidos de chita

Bem compridos

Parecia balão

De São João

E todos dançavam

Como era bom!

Ainda me lembro

Do tempo de criança

Cabelos com trança

E pés no chão

Menina bonita

Vestido de chita

Dançando… dançando

Ao som do violão

Ah! Que saudade que eu tenho

Ah! Que saudade que eu tenho

 

Ah! Que saudade que eu tenho

Da terra  onde morei

– Se eu pudesse voltaria lá –

Saudade do que no passado está

 

Saudades dos raios de sol nos galhos

Da terra vermelha no chão

Da brisa balançando as folhas

Do cheiro da plantação

 

Do canto do galo que acorda

Do leite espumoso tirado na hora

Da escola que tão pouco freqüentei

Das modinhas diferentes de agora

 

Do trole, do trem lá ao longe

Do verde do canavial

Do caule frondoso da mangueira

Das leiras do mandiocal

 

Da polenta, da puína, da garapa

Da lingüiça , morcela, do  pão,

Do café com leite e queijo

Derretido na lenha do fogão

 

Dos cantos de roda, dos licores

Do truco, da quermesse, do bordado

Da missa, do terço, da procissão

Do chapéu intrometido do namorado

 

Da sanfona que gemia ao longe

Dos namoricos no caminho da capela

Dos pés descalços, das tranças, das fitas

Ah! Que saudades da minha janela!

 

Ah! Que saudade que eu tenho

Da terra  onde morei

– Se eu pudesse voltaria lá –

Saudade do que no passado está