Nem branca, nem preta

Nem branca, nem preta

 

Sempre pequena

Mas altiva

Neste instante

E enquanto estou viva

 

Entre todas as flores

Sou a mais comedida

Por ser pequena

Estou escondida

 

Flor especial

Desperta ciúme

Ninguém resiste

Ao meu perfume

 

Você desconfia

Porque sou sozinha

Já sabe quem sou?

Veja se adivinha

 

Não sou

Nem branca, nem preta

Adivinhou?

Sou a Violeta!

Beija-flor

Beija-flor

 

Caminhando pela mata

Ouvindo da cascata

Ao longe, o borbulhar

As borboletas

Brancas e pretas

A esvoaçar

O passarinho

Alegre no ninho

Desfiava o seu cantar

Eis que de repente

Rapidamente

O beija-flor aparece

Altivo guerreiro

Arrebata ligeiro

O mel que o aquece.