Lamento poético

Lamento poético

 

A poesia já não tem valor

Esqueces que ela existe

Em função do amor?

 

Que a poesia seja

Daquele que ama

Sinceramente

 

Assim, um dia

Poderás acreditar na poesia,

Novamente

 

Anúncios

Doce amizade

Doce amizade

 

Como é doce a amizade

Quando ela é sincera

É a flor das flores

Sempre em primavera

 

O amor e a amizade

O tempo não numera

É a coisa mais sublime

Que existe sobre a terra

 

A amizade nos traz dor

Ela nos traz saudade

Mas é muito bom sofrer

Em troca da amizade

Eu quero…

Eu quero…

 

E… de repente

Vi entre as nuvens

Estrelas… estrelas…

Grandes, pequenas, coloridas

Todas tão belas!

 

Eu quero

Que cada estrela

Seja um anjo

– um anjinho –

Protegendo sempre

O seu o meu caminho

 

Eu quero

Que o seu e o meu coração

Sejam fartos e sinceros

Para alcançar

O que você  quer

O que eu quero

 

E, em particular espero

Muito em breve, conseguir

Que em todo mundo, as crianças

Vivam a sorrir

Realizando  suas esperanças