Nem branca, nem preta

Nem branca, nem preta

 

Sempre pequena

Mas altiva

Neste instante

E enquanto estou viva

 

Entre todas as flores

Sou a mais comedida

Por ser pequena

Estou escondida

 

Flor especial

Desperta ciúme

Ninguém resiste

Ao meu perfume

 

Você desconfia

Porque sou sozinha

Já sabe quem sou?

Veja se adivinha

 

Não sou

Nem branca, nem preta

Adivinhou?

Sou a Violeta!

Alegre-tristonho

Alegre-tristonho

 

Quem sou

Adivinha

Vou dar uma pista

Nas coisas boas ou más

Estou na lista

 

Eu sou no amor

Uma ilusão

Que reanima

O doce coração

 

Nas coisas da vida

Às vezes sou bom

Em outros casos

Eu não sou não

 

Eu vou até as nuvens

Acaricio a lua a brilhar

Eu contos as estrelas

Danço no fundo do mar

 

Faço você alegre

– às vezes, tristonho –

Sabe quem sou?

Eu sou o sonho!

Resto de pó

Resto de pó

 

Batem as horas

Os minutos passam

Correm os segundos

Ninguém percebe

O tempo se vai

Neste globo terrestre

 

Tudo se foi

Alegria e dores

Perfume e flores

Estamos sós

 

Será que quando jovem

Julgaria ser

A vida assim?

 

Tudo passou

Estou só

Tudo terminou

Num resto de pó